segunda-feira, 22 de agosto de 2011

O QUE DIZ A BÍBLIA SOBRE O DÍZIMO? CONTINUAÇÃO 22/08

Gen. 28,20: "Jacó fez então este voto: Se Deus for comigo, se ele me guarda durante esta viagem que empreendi, e me der pão para comer e roupa para vestir, e me fizer voltar em paz à casa paterna, então o Senhor será o meu Deus. Esta pedra da qual fiz uma estrela será uma casa de Deus e pagarei o dízimo de tudo o que me deres".

Comentário: Jacó fez o voto de dar o dízimo de tudo aquilo que Deus lhe daria Se Deus o atendesse, ele lhe daria 10% e o reconheceria como Deus. Caso contrário... Deus o atendeu e Jacó cumpriu sua promessa. Não tenha medo de pedir e ser fiel.

Lev. 27, 30-31: "Todos os dízimos da terra tomados da semente do solo ou dos frutos das árvores são própriedade do Senhor: é uma coisa consagrada ao Senhor. Todos os dízimos do gado maior e menor, os dízimos do que passa sob o cajado do pastor, o décimo (animal) será consagrado ao Senhor".

Comentário: O dízimo é propriedade do Senhor. Esta é a passagem mais explícita da Bíblia sobre a obrigatoriedade do dízimo. Imagem no quintal de nossa casa uma laranjeira com dez laranjas.

Tob. 1,6-7: "Dirigia-se ao templo do Senhor Deus de Israel, oferecendo fielmente as prímicias e os dízimos de todos os seus bens. De três em três anos, dava ao prosélios e aos estrangeiros todo o seu dízimo".

Comentário: Tobit foi sempre um homem bom, e fiel e temente a Deus, e por isso protegido por Êle.

Mt. 23,23: "Ai de vós, escribas e fariseus hipócritas! Pagais o dízimo da hortelã, do endro e do caminho e desprezais os preceitos mais importantes da Lei: a justiça, a misericórdia, a fidelidade. Eis o que era preciso praticar em primeiro lugar, sem contudo deixar o restante".

Luc. 11,42: "Aí de vós fariseus que pagais o dízimo da hortelã, da arruda e de diversas ervas, e desprezais a justiça e o amor de Deus. No entanto, era necessário praticar estas coisas, sem contudo deixar de fazer aquelas outras coisas".

Comentário: O fato de pagarmos o dízimo não nos autoriza a sermos injustos e exploradores. É necessário dar ofertas, é mais necessário praticar a justiça. O dízimo me torna fiel e justo para com Deus. Mas deve tornar-me fiel e justo com meus irmãos, lutando contra a opressão e as injustiças. Nove eu posso apanhar, chupar, vender, dar. Posso fazer aquilo que eu quero. Uma pertence à Deus. É o dízimo. Mas Deus me dá liberdade. Deixa-me livre. Eu posso apanhar ou não aquela laranja consagrada a Êle. Mas se uso mal a liberdade e a apanho e chupo, estou comendo a semente. Se como a semente não planto, se não planto, não posso colher.

Mat. 3,8-9: "Pode o homem enganar seu Deus? Por que procurais enganar-me? E ainda perguntais: Em que vos temos enganado? No pagamento dos dízimos e nas ofertas. Fostes atingido pela maldição, e vós, nação inteira, procurais enganar-me".

Comentário: O Dízimo é algo importante e sério. Ficar com o que é dos outros é roubo. Será que conseguiremos enganar a Deus? Basta olhar a realidade do mundo e ao nosso redor para compreendermos a seriedade deste texto. Mas, de outro lado, o texto seguinte expressa a vontade de Deus e a sua disponibilidade de abençoar aquele que é fiel.


Nenhum comentário:

Postar um comentário