segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Reflexão Sobre o Dízimo - Tire Suas Dúvidas - Parte IV Continução

 Dizimo: opção generosa da pessoa de fé
A bíblia diz que quanto mais uma pessoa é generosa e abre a mão e o coração para partilhar, tanto mais recebe as bênçãos de Deus. O coração do egoísta é fechado para dar e, em conseqüência, também fechado para receber. Só quem é generoso e não tem medo de partilhar o que possui, está de fato aberto para receber as bênçãos de Deus. “A alma generosa será cumulada de bens; e o que largamente dá, largamente receberá” Prov. 11. 25.

Por que em muitas paróquias o dizimo não vai bem?
Em algumas paróquias o dizimo não vai bem porque as lideranças, muitas vezes, não acreditam ou não assumem a pastoral do dizimo como deveríam assumir. Existem pessoas que exercem, ministérios dentro da igreja e não devolvem o dizimo. Alguns por falta de conhecimento da Palavra de Deus, porque não têm consciência do que é ser igreja e outros, simplesmente, por comodidade pessoal.

Cada um tem uma justificativa pela sua omissão. Devolver o dizimo é um dever de todos, a começar pelos padres, diáconos, Ministros da Eucaristia e da palavra, catequistas, coordenadores de comunidades, coordenadores de pastorais, Grupo de Oração e, enfim, pessoas que prestam algum serviço espontâneo na comunidade ou trabalham em festas, rifas, bingos, promoções, etc... . Nenhuma destas pessoas está dispensada de devolver o dizimo. Pelo contrario, essas deveriam ser as primeiras a dar o bom exemplo.
—->Devolver o dizimo é ser justo para com Deus e estar de coração aberto para colaborar com o seu Reino, que é de justiça, amor e paz.
—->Com o dizimo você ajuda a transformar a Igreja para que ela seja cada vez mais unida e fraterna, a fim de que possa cumprir a sua missão evangelizadora como Jesus a quer.
—>Dizimo é sinal de compromisso de fidelidade com Deus, com a igreja e com os pobres. Jesus, na sua bondade infinita, instituiu a sua igreja, para ela evangelizar, catequizar, servir e santificar. E, para que ela possa desempenhar a sua vocação evangelizadora no mundo, necessita de recursos materiais e esses recursos devem provir de nós, seus filhos, que somos e formamos a igreja viva de Cristo aqui na terra.
—->Dizimo é como uma semente, quando plantada e cultivada, teremos a certeza de que produzirá muitos frutos para com Deus, com a igreja e com os pobres. “Aquele que dá a semente ao semeador e o pão para comer, vos dará rica sementeira e aumentará os frutos da vossa justiça” 2Co. 9. 10. É só confiar em Deus, devolver o dizimo e os frutos, com certeza virão em abundância.
—->A opção pelo dizimo nasce quando o cristão começa a dar valor á Palavra de Deus. Ao invés de só pedir, aprende também a agradecer, não só no aspecto espiritual, mas também no aspecto material, que é devolução do dizimo.
—->Devolvendo o dizimo, estou colocando em comum uma parte dos meus bens, para que todos possam viver com dignidade, como filhos de Deus. “nisto todos conhecerão que sois meus discípulos, se vos amardes uns aos outros” Jo. 13. 35.

domingo, 25 de setembro de 2011

Reflexão Sobre o Dízimo - Tire Suas Dúvidas - Parte IV Continução

 Quais são os fundamentos do Dízimo?
Para justificar a necessidade de contribuir com o Dízimo, podemos indicar quatro fundamentos distintos, que são: bíblico, teológico, comunitário e pastoral.

Fundamentação Pastoral
O quarto fundamento do dizimo é o pastoral, a evangelização. A atividade pastoral gera despesas com atividades missionárias em geral,  ajuda ás paróquias e comunidades pobres em locais distantes, em outras regiões do país.Jesus fala sobre o trabalho dos evangelizadores e defende os seus direitos: “O trabalhador merece o seu sustento” Mt. 10. 10.São Paulo também afirma: “O ministro  do culto vivo do seu ministério” 1Co. 9. 13-14.

sábado, 24 de setembro de 2011

Reflexão Sobre o Dízimo - Tire Suas Dúvidas - Parte IV Continução

 Quais são os fundamentos do Dízimo?
Para justificar a necessidade de contribuir com o Dízimo, podemos indicar quatro fundamentos distintos, que são: bíblico, teológico, comunitário e pastoral.

Fundamentação Comunitária
Terceiro fundamento do Dizimo é o comunitário. A comunidade é uma família, a família do povo de Deus, onde se testemunha o Cristo pela vivencia da fraternidade como expressão de fé. A comunidade verdadeira se ama e se ajuda. Por isso, todos são responsáveis por tudo o que acontece nela.A igreja não é um conjunto de pessoas alheias umas ás outras. Se assim fosse, não seria uma comunidade unida. O povo de Deus que é a Igreja esta organizado, sua missão é exercida por pessoas que exercem funções em benefícios de todos. A comunidade de fé esta no mundo e por isso se organiza de modo humano.O retrato de uma comunidade verdadeira está em Atos dos Apóstolos: “Todos os fieis viviam e tinham tudo em comum. Vendiam as suas propriedades e os seus bens, e dividiam-nos por todos, segundo a necessidade de cada um”.Que lindo exemplo que cada um de nós deveríamos seguir. Você que é católico, vem á igreja todos os domingos e não contribui com o dizimo, gostaria de ver sua comunidade funcionando bem? Então, retribua e faça com alegria e amor.

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Reflexão Sobre o Dízimo - Tire Suas Dúvidas - Parte IV Continução

 Quais são os fundamentos do Dízimo?
Para justificar a necessidade de contribuir com o Dízimo, podemos indicar quatro fundamentos distintos, que são: bíblico, teológico, comunitário e pastoral.

Fundamentação Teológica
A fundamentação teológica do Dízimo baseia-se no plano de Deus. E tem suas origens no Antigo Testamento, onde o povo reconhece que tudo vem de Deus, a vida, o trabalho, os bens materiais, etc... Não existe Dízimo sem ligação com Deus. É algo que vem d’Ele e volta pa Ele através das mãos do homem, impulsionadas pela fé, como reconhecimento de que tudo o que temos e somos a Ele pertence e sem Ele nada temos e nada somos.

As virtudes da fé, esperança e caridade são dons gratuitos de Deus. O sinal de que efetivamente recebemos esses dons sobrenaturais se revela em nossa vida, em nossas atitudes. Quem tem fé, acredita na Palavra de Deus segundo a qual devemos ser sinal do seu amor no mundo, espera que todos os irmãos vivam dignamente e ama seus irmãos em concreto, oferecendo sua colaboração para que as suas necessidades sejam satisfeitas de modo organizado.

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Reflexão Sobre o Dízimo - Tire Suas Dúvidas - Parte IV

 Quais são os fundamentos do Dízimo?
Para justificar a necessidade de contribuir com o Dízimo, podemos indicar quatro fundamentos distintos, que são: bíblico, teológico, comunitário e pastoral.

Fundamentação Bíblica
A fundamentação bíblica está bem clara na Sagrada Escritura. O Dízimo é um mandamento, uma expressão da vontade de Deus a todo os eu povo, quer no Antigo Testamento, quer no Novo Testamento.A palavra dízimo tem origem na contribuição legal da décima parte dos bens das tribos de Israel para o sustento dos sacerdotes, órfãos e viúvas. No Novo Testamento a contribuição deixou de corresponder precisamente ao valor de 10%, e tornou-se o cumprimento do mandamento do amor, posto em pratica pela partilha alegre e generosa. Eis alguns textos, que irão nos ajudar nesta reflexão, mostrando que o termo Dízimo evoluiu na compreensão do povo de Deus:
―Todos os dízimos da terra são propriedade do Senhor... São coisas consagradas ao Senhor‖ (Lv 27:30).
―Tragam o Dízimo ao templo do Senhor, para que haja alimento em minha casa‖ (Ml 3:10).
―Este é o meu mandamento: amai-vos uns aos outros, como eu vos amo‖ (Jô 15:12).―Cada um dê conforme o impulso do seu coração, não dê de má vontade ou constrangido, pois Deus ama a quem dá com alegria‖ (II Cor 9:7).

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Reflexão Sobre o Dízimo - Tire Suas Dúvidas - Parte IV

 Por que o Dízimo é uma experiência de Fé?
A Palavra de Deus não deixa nenhuma duvida, Dízimo é uma forma de experimentar o grande amor que Deus tem para todos aqueles que confiam na sua Palavra e nos seus ensinamentos, como nos diz a Sagrada Escritura: ―Façam a experiência comigo, diz o Senhor‖ (Mt 3:10).Deus convida a cada um de nós para fazermos esta experiência de amor para com Ele. Quantas pessoas já fizeram e hoje são felizes, porque acreditaram na Palavra de Deus e nesta experiência de amor!

terça-feira, 20 de setembro de 2011

Reflexão Sobre o Dízimo - Tire Suas Dúvidas - Parte III continuação

 É certo ajudar mensalmente os meios de comunicação evangélicos e outras obras de caridade e pensar que está dispensado da contribuição do Dízimo?
Não. Não é certo. O Dízimo existe para a manutenção da Igreja.Os meios de comunicação são muito importantes para a evangelização e nós devemos ajudar. As instituições de caridade e obras sociais também dependem da contribuição dos fiéis, mas a elas devemos destinar ofertas, doações, patrocínios, etc...Dízimo é somente aquilo que levamos regularmente á Igreja para as obras na comunidade. É uma contribuição estável, periódica e constante.

Por que dando o Dízimo na Igreja estarei também praticando a caridade?
Quando sua comunidade acolhe uma pessoa necessitada, um doente, uma família com dificuldade ou qualquer pessoa que precisa de ajuda, está praticando a caridade da ação social, e você devolvendo o Dízimo estará praticando a caridade junto com a comunidade.

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Reflexão Sobre o Dízimo - Tire Suas Dúvidas - Parte III

 Reflexão Sobre o Dízimo - Tire Suas Dúvidas - Parte III


Você disse que tudo o que temos vem de Deus, mas se eu tenho é porque trabalhei e consegui com o suor do meu rosto, não é mesmo?
Exatamente! Se você tem é porque trabalhou e Deus permitiu. Se Deus não permitisse, você não teria o que tem. Jesus contou-lhes uma parábola: “A terra de um homem rico deu uma grande colheita. O homem pensou: „ O que vou fazer? Não tenho onde guardar minha colheita‟. Então resolveu: „ Já sei o que fazer! Vou derrubar os meus celeiros e construir outros maiores; e neles vou guardar todo o meu trigo, junto com os meus bens. Então poderei dizer a mim mesmo; meu caro, você possui um bom estoque, uma reserva para muitos anos; descanse, coma e beba, alegre-se!‟ Mas Deus lhe disse: „ Louco! Nesta mesma noite você vai ter que devolver a sua vida. E as coisas que você preparou, para quem vão ficar?‟ Assim acontece com quem ajunta tesouros para si mesmo, mas não é rico para Deus” (Lc 12:16-21).Por isso, devolver o Dízimo é um gesto nobre e através dele, você está colocando parte dos seus bens a serviço do Reino de Deus e dos irmãos menos favorecidos. 

domingo, 18 de setembro de 2011

Reflexão Sobre o Dízimo - Tire Suas Dúvidas - Parte III


Reflexão Sobre o Dízimo - Tire Suas Dúvidas - Parte III

Por que os seguidores de outras crenças dão 10% de Dízimo e os católicos dão entre 1 e 10%?
O Dízimo dos católicos baseia-se no amor e na gratidão a Deus, dado com alegria como escreve Paulo: “Cada um dê de acordo com seu coração”. (II Cor 9:7).O Dízimo de algumas religiões ou crenças é um Dízimo forçado, onde predominam ameaças de castigo para quem não devolver 10% de sua renda. Alguns pastores ou líderes são oportunistas, chegam a exigir o Dízimo como pagamento de curas recebidas.Jesus jamais pressionou ninguém. Sempre usou de misericórdia para com as pessoas. Ele mesmo nos ensina: “Sede misericordiosos, como também o vosso Pai é misericordioso” (Lc 6:36).Por isso, respeitar as pessoas, seja qual for a sua condição de vida e deixar a liberdade de decidir sobre a porcentagem do Dízimo é seguir corretamente a Palavra de Deus.

sábado, 17 de setembro de 2011

LITURGIA DIÁRIA 17/09

 Leituras Relacionadas ao dia 17/09/2011 - CNBB
Verde. Sábado da 24ª Semana Tempo Comum

1ª Leitura - 1Tm 6,13-16
Guarda o teu mandato íntegro e sem mancha
até à manifestação gloriosa de nosso Senhor Jesus Cristo.
Leitura da Primeira Carta de São Paulo a Timóteo 6,13-16
Caríssimo:
13Diante de Deus, que dá a vida a todas as coisas,
e de Cristo Jesus,
que deu o bom testemunho da verdade
perante Pôncio Pilatos, eu te ordeno:
14guarda o teu mandato íntegro e sem mancha
até à manifestação gloriosa de nosso Senhor Jesus Cristo.
15Esta manifestação será feita no tempo oportuno
pelo bendito e único Soberano,
o Rei dos reis e Senhor dos senhores,
16o único que possui a imortalidade
e que habita numa luz inacessível,
que nenhum homem viu, nem pode ver.
A ele, honra e poder eterno. Amém.
Palavra do Senhor. 


Salmo - Sl 99 (100),2. 3. 4. 5 (R. 2c)
R. Com canto apresentai-vos diante do Senhor!

2Aclamai o Senhor, ó terra inteira, +
servi ao Senhor com alegria, *
ide a ele cantando jubilosos!R.
3Sabei que o Senhor, só ele, é Deus, +
Ele mesmo nos fez, e somos seus, *
nós somos seu povo e seu rebanho.R.
4Entrai por suas portas dando graças, +
e em seus átrios com hinos de louvor; *
dai-lhe graças, seu nome bendizei!R.
5Sim, é bom o Senhor e nosso Deus, +
sua bondade perdura para sempre, *
seu amor é fiel eternamente!R. 


Evangelho - Lc 8,4-15
E o que caiu em terra boa são aqueles que,
conservam a Palavra, e dão fruto na perseverança.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas 8,4-15
Naquele tempo:
4Reuniu-se uma grande multidão,
e de todas as cidades iam ter com Jesus.
Então ele contou esta parábola:
5"O semeador saiu para semear a sua semente.
Enquanto semeava, uma parte caiu à beira do caminho;
foi pisada e os pássaros do céu a comeram.
6Outra parte caiu sobre pedras;
brotou e secou, porque não havia umidade.
7Outra parte caiu no meio de espinhos;
os espinhos cresceram juntos, e a sufocaram.
8Outra parte caiu em terra boa;
brotou e deu fruto, cem por um."
Dizendo isso, Jesus exclamou:
"Quem tem ouvidos para ouvir, ouça."
9Os discípulos lhe perguntaram
o significado dessa parábola.
10Jesus respondeu:
"A vós foi dado conhecer os mistérios do Reino de Deus.
Mas aos outros, só por meio de parábolas,
para que olhando não vejam,
e ouvindo não compreendam.
11A parábola quer dizer o seguinte:
A semente é a Palavra de Deus.
12Os que estão à beira do caminho
são aqueles que ouviram,
mas, depois, vem o diabo
e tira a Palavra do coração deles,
para que não acreditem e não se salvem.
13Os que estão sobre a pedra
são aqueles que, ouvindo, acolhem a Palavra com alegria.
Mas eles não têm raiz: por um momento acreditam;
mas na hora da tentação voltam atrás.
14Aquilo que caiu entre os espinhos
são os que ouvem, mas, com o passar do tempo,
são sufocados pelas preocupações,
pela riqueza e pelos prazeres da vida,
e não chegam a amadurecer.
15E o que caiu em terra boa
são aqueles que, ouvindo com um coração bom e generoso,
conservam a Palavra, e dão fruto na perseverança.
Palavra da Salvação. 


Reflexão - Lc 8, 4-15
Muitas vezes, quando estamos exercendo o trabalho evangelizador, ficamos angustiados porque não vemos os resultados que estávamos esperando, e isso acaba por se tornar para nós causa de desânimo. O Evangelho de hoje nos mostra que o mais importante é evangelizar, e que sempre devemos lançar as sementes da Palavra. O semeador do Evangelho de hoje não estava preocupado se as sementes estavam caindo em terreno bom. Nós também não devemos lançar as sementes apenas para os que podem responder de forma positiva. A evangelização é para todos e os resultados não dependem de nós, mas da Graça divina.

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

LITURGIA DIÁRIA 15/09

 Leituras Relacionadas ao dia 15/09/2011 - CNBB
Branco. Nossa Senhora das Dores Memória

1ª Leitura - Hb 5,7-9
Aprendeu o que significa a obediência a Deus
e tornou-se causa de salvação eterna.

Leitura da Carta aos Hebreus 5,7-9

7Cristo, nos dias de sua vida terrestre,
dirigiu preces e súplicas,
com forte clamor e lágrimas,
àquele que era capaz de salvá-lo da morte.
E foi atendido, por causa de sua entrega a Deus.
8Mesmo sendo Filho,
aprendeu o que significa a obediência a Deus
por aquilo que ele sofreu.
9Mas, na consumação de sua vida,
tornou-se causa de salvação eterna
para todos os que lhe obedecem.
Palavra do Senhor.


Salmo - Sl 30(31),2-3a.3bc-4.5-6.15-16.20 (R. 17b)
R. Salvai-me pela vossa compaixão, ó Senhor Deus!

2Senhor, eu ponho em vós minha esperança;*
que eu não fique envergonhado eternamente!
3aPorque sois justo, defendei-me e libertai-me*
apressai-vos, ó Senhor, em socorrer-me!R.
3bSede uma rocha protetora para mim,*
3cum abrigo bem seguro que me salve!
4Sim, sois vós a minha rocha e fortaleza;*
por vossa honra orientai-me e conduzi-me!R.
5Retirai-me desta rede traiçoeira, *
porque sois o meu refúgio protetor!
6Em vossas mãos, Senhor, entrego o meu espírito, *
porque vós me salvareis, ó Deus fiel!R.
15A vós, porém, ó meu Senhor, eu me confio, *
e afirmo que só vós sois o meu Deus!
16Eu entrego em vossas mãos o meu destino; *
libertai-me do inimigo e do opressor!R.
20Como é grande, ó Senhor, vossa bondade, *
que reservastes para aqueles que vos temem!
Para aqueles que em vós se refugiam, *
mostrando, assim, o vosso amor perante os homens.R.


Evangelho - Jo 19,25-27
Mãe entre todas bendita, do Filho único aflita,
a imensa dor assistia (Stabat Mater).

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo João 19,25-27

Naquele tempo:
25Perto da cruz de Jesus, estavam de pé
a sua mãe, a irmó da sua mãe, Maria de Cléofas,
e Maria Madalena.
26Jesus, ao ver sua mãe 
e, ao lado dela, o discípulo que ele amava, 
disse à mãe:
"Mulher, este é o teu filho".
27Depois disse ao discípulo:
"Esta é a tua mãe". 
Daquela hora em diante, 
o discípulo a acolheu consigo.
Palavra da Salvação.


Evangelho - Lc 2,33-35
Quanto a ti, uma espada te traspassará a alma.

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas 2,33-35

Naquele tempo:
33O pai e a mãe de Jesus estavam admirados
com o que diziam a respeito dele.
34Simeão os abençoou
e disse a Maria, a mãe de Jesus:
"Este menino vai ser causa
tanto de queda como de reerguimento
para muitos em Israel.
Ele será um sinal de contradição.
35Assim serão revelados os pensamentos de muitos corações.
Quanto a ti, uma espada te traspassará a alma".

Palavra da Salvação.


Reflexão - Lc 2, 33-35
A presença de Maria junto ao seu Filho no momento do seu suplício mostra para nós a realização da profecia de Simeão: “E quanto a ti, uma espada de dor transpassará a tua alma”. Esta presença também nos mostra a necessidade da nossa presença e da nossa solidariedade junto a todos os que sofrem e que esta presença deve ser muito mais do que estar ao lado fazendo alguma coisa. Ela deve ser também a presença solidária de quem sofre junto, porque temos os mesmos valores, comungamos as mesmas idéias e lutamos pela realização plena dos mesmos projetos.

Reflexão Sobre o Dízimo - Tire Suas Dúvidas - Parte II continuação


Reflexão Sobre o Dízimo - Tire Suas Dúvidas - Parte II

Eu coordeno um Grupo de Oração na minha Igreja. Estou dispensado de devolver o Dízimo?
Não! Não está dispensado. Dízimo foi instituído por Deus e é a forma que a Igreja adota aos tempos atuais para poder realizar sua missão evangelizadora. Ninguém pode se omitir deste gesto na comunidade, porque é o sinal concreto de participação nas suas necessidades materiais. Os grupos de oração devem ser ajudados pelos seus membros em forma de doações, ofertas, colaboração, ajuda, etc...

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Reflexão Sobre o Dízimo - Tire Suas Dúvidas - Parte II continuação

 Muitos católicos vão á missa todos os domingos, participam dos sacramentos e por que não devolvem o Dízimo?
Porque, muitas vezes, o apego ao dinheiro e aos bens materiais dificulta as pessoas de serem bons dizimista. São Paulo nos adverte: “A raiz de todos os males é o amor ao dinheiro. E pela cobiça, alguns se desviaram da fé e vivem atormentados em muitas aflições” (I Tm 6:10).

Por que o dizimo é uma expressão de fé?
Porque se tenho fé devolvo o dizimo e acredito na Palavra de Deus. Seria contraditório dizer que creio na Palavra de Deus e não acredito no dizimo. Por isso podemos afirmar que dizimo e fé caminham juntos e são inseparáveis. Quem tem fé devolve o dizimo. Quem não tem fé não devolve. “Porque a fé sem obras é morta” Tg. 2. 17.

Por que devolver o Dízimo se eu sou um cristão sempre pronto a ajudar?
Se você faz tudo isso, muito bem. Você está no caminho certo. Mas para completar suas ações tem que dar o bom exemplo, devolvendo o Dízimo na comunidade.

terça-feira, 13 de setembro de 2011

Reflexão Sobre o Dízimo - Tire Suas Dúvidas - Parte II


Reflexão Sobre o Dízimo - Tire Suas Dúvidas - Parte II

Se a pessoa é bem pobre, que nada tem é obrigado a devolver o Dízimo?
A pessoa bem pobre que nada tem, nem para o seu próprio sustento, deve ser ajudada pela comunidade com a Dimensão social do Dízimo.

Eu não dou o Dízimo na Igreja porque os padres são ricos e tem uma vida boa.
Em primeiro lugar, o dinheiro do Dízimo não é para o padre e sim para a comunidade. O padre recebe o seu salário e nada mais, como determina a Diocese. Em segundo lugar, se os padres têm vida tão boa, por que faltam tantos padres? Você não gostaria de ser um padre?

Se eu devolvo meu Dízimo, estou prestando um favor á Igreja?
Não. Você, devolvendo o dízimo, não está prestando nenhum favor. Você esta apenas assumindo o seu lugar na comunidade como membro responsável. Você está devolvendo a Deus o que já é d’Ele e se o Dízimo é de Deus você não esta ajudando e sim devolvendo.


segunda-feira, 12 de setembro de 2011

LITURGIA DIÁRIA 12/9

 Leituras Relacionadas ao dia 12/09/2011 - CNBB
Verde. 2ª-feira da 24ª Semana Tempo Comum

2ª Leitura - 1Tm 2,1-8
Recomendo que se façam orações a Deus por todos
os homens. Deus que quer que todos sejam salvos.
Leitura da primeira Carta de São Paulo a Timóteo 2,1-8
Caríssimo:1Antes de tudo, recomendo que se façam preces e orações,súplicas e ações de graças,por todos os homens;2pelos que governam e por todos que ocupam altos cargos,a fim de que possamos levar uma vida tranqüila eserena, com toda piedade e dignidade.3Isto é bom e agradável a Deus, nosso Salvador;4ele quer que todos os homens sejam salvose cheguem ao conhecimento da verdade.5Pois há um só Deus,e um só mediador entre Deus e os homens:o homem Cristo Jesus,6que se entregou em resgate por todos. Este éo testemunho dado no tempo estabelecido por Deus,7e para este testemunhoeu fui designado pregador e apóstolo,e - falo a verdade, não minto -mestre das nações pagós na fé e na verdade.8Quero, portanto, que em todo lugaros homens façam a oração,erguendo mãos santas, sem ira e sem discussões.Palavra do Senhor.


Salmo - Sl 27 (28),2. 7. 8-9 (R. 6)
R. Bendito seja o Senhor, porque ouviu o clamor da minha súplica!

2Escutai o meu clamor, a minha súplica, *
quando eu grito para vós;
quando eu elevo, ó Senhor, as minhas mãos *
para o vosso santuário.R.
7Minha força e escudo é o Senhor; *
meu coração nele confia.
Ele ajudou-me e alegrou meu coração; *
eu canto em festa o seu louvor.R.
8O Senhor é a fortaleza do seu povo *
e a salvação do seu Ungido.
9Salvai o vosso povo e libertai-o; *
abençoai a vossa herança!
Sede vós o seu pastor e o seu guia *
pelos séculos eternos!R. 


Evangelho - Lc 7,1-10
Nem mesmo em Israel encontrei tamanha fé.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas 7,1-10
Naquele tempo:1Quando acabou de falar ao povo que o escutava,Jesus entrou em Cafarnaum.2Havia lá um oficial romanoque tinha um empregado a quem estimava muito,e que estava doente, à beira da morte.3O oficial ouviu falar de Jesuse enviou alguns anciãos dos judeus,para pedirem que Jesus viesse salvar seu empregado.4Chegando onde Jesus estava,pediram-lhe com insistência:"O oficial merece que lhe faças este favor,5porque ele estima o nosso povo.Ele até nos construiu uma sinagoga."6Então Jesus pôs-se a caminho com eles.Porém, quando já estava perto da casa,o oficial mandou alguns amigos dizerem a Jesus:"Senhor, não te incomodes,pois não sou digno de que entres em minha casa.7Nem mesmo me achei dignode ir pessoalmente ao teu encontro.Mas ordena com a tua palavra,e o meu empregado ficará curado.8Eu também estou debaixo de autoridade,mas tenho soldados que obedecem às minhas ordens.Se ordeno a um : "Vai!", ele vai;e a outro: "Vem!", ele vem;e ao meu empregado "Faze isto!", e ele o faz"."9Ouvindo isso, Jesus ficou admirado.Virou-se para a multidão que o seguia, e disse:"Eu vos declaro que nem mesmo em Israelencontrei tamanha fé."10Os mensageiros voltaram para a casa do oficiale encontraram o empregado em perfeita saúde.Palavra da Salvação.


Reflexão - Lc 7, 1-10
Uma coisa é a fé em si, e outra coisa é como ela se expressa. Para muitos, a fé em si nem sequer é percebida, de modo que existe uma necessidade muito grande de ritualismo e de formas exteriores de expressão da fé. Quem tem verdadeiramente fé em Jesus, acredita na autoridade do seu nome e na força da sua Palavra, e não necessita de manifestações exteriores para acreditar na eficácia da sua ação. Deste modo, todos nós somos convidados a reconhecer que a grandiosidade da fé do Centurião que acreditou plenamente no poder da Palavra de Jesus e não exigiu dele nenhum rito ou gesto exterior e, porque acreditou, foi atendido naquilo que desejava.


LEIA MAIS EM NOSSA PÁGINA! CLICK AQUI!

Reflexão Sobre o Dízimo - Tire Suas Dúvidas - Parte I Continuação


Reflexão Sobre o Dízimo - Tire Suas Dúvidas - Parte I

Quanto devo devolver de Dízimo?
Você deve devolver de Dízimo aquilo que o seu coração manda. Um coração agradecido saberá discernir entre 1 e 10% sobre tudo aquilo que ganhar. São Paulo escreve: “De cada um conforme o impulso do seu coração, sem tristeza nem constrangimento. Deus ama quem dá com alegria” (II Cor 9:7). Como Deus é bom! Ele lhe dá tudo. Tudo o que você tem vem de Deus e a Ele pertence. Seu dinheiro, seus bens, sua vida, sua família, etc... Ele apenas quer a sua resposta de amor e generosidade que deve se manifestar na comunidade.

O dizimista é abençoado por Deus?
Sim. O dizimista quando devolve o Dízimo com amor e generosidade, sempre será abençoado por Deus e este gesto torna-se uma oração de ação de graças. “Vocês vão ver se não derramo a minha benção sobre vós muito além do necessário” (Ml 3:10)

Quem está dispensado de devolver o Dízimo?
Ninguém está dispensado. A Bíblia fala que todos devem reconhecer a graça de Deus. Quem reconhece, agradece e de acordo com as suas possibilidades deve retribuir a Deus pelo uso daquilo que a Ele pertence.

domingo, 11 de setembro de 2011

LITURGIA DIÁRIA 11/09

 1ª Leitura - Eclo 27,33-28,9

Perdoa a injustiça cometida por teu próximo;
quando orares teus pecados serão perdoados.
Leitura do Livro do Eclesiástico:

33O rancor e a raiva são coisas detestáveis; até o pecador procura dominá-las.
28,1Quem se vingar encontrará a vingança do Senhor, que pedirá severas contas dos seus pecados.
2Perdoa a injustiça cometida por teu próximo; assim, quando orares, teus pecados serão perdoados.
3Se alguém guarda raiva contra o outro, como poderá pedir a Deus a cura?4Se não tem compaixão do seu semelhante, como poderá pedir perdão dos seus pecados? 5Se ele, que é um mortal, guarda rancor, quem é que vai alcançar perdão para seus pecados?
6Lembra-te do teu fim e deixa de odiar; 7pensa na destruição e na morte, e persevera nos mandamentos.
8Pensa nos mandamentos, e não guardes rancor ao teu próximo.
9Pensa na aliança do Altíssimo, e não leves em conta a falta alheia!

- Palavra do Senhor. 
- Graças a Deus.
Salmo - Sl 102,1-2.3-4.9-10.11-12 (R. 8)
— O Senhor é bondoso, compassivo e carinhoso.
— O Senhor é bondoso, compassivo e carinhoso.

— Bendize, ó minha alma, ao Senhor,/ e todo o meu ser, seu santo nome! Bendize, ó minha alma, ao Senhor,/ não te esqueças de nenhum de seus favores!
— Pois ele te perdoa toda culpa,/ e cura toda a tua enfermidade;/ da sepultura ele salva a tua vida/ e te cerca de carinho e compaixão.
— Não fica sempre repetindo as suas queixas,/ nem guarda eternamente o seu rancor./ Não nos trata como exigem nossas faltas,/ nem nos pune em proporção às nossas culpas.
— Quanto os céus por sobre a terra se elevam,/ tanto é grande o seu amor aos que o temem;/ quanto dista o nascente do poente,/ tanto afasta para longe nossos crimes.
 

2ª Leitura - Rm 14,7-9
Quer vivamos, quer morramos,
pertencemos ao Senhor.

Leitura da Carta de São Paulo aos Romanos:

Irmãos: 7Ninguém dentre vós vive para si mesmo ou morre para si mesmo.
8Se estamos vivos, é para o Senhor que vivemos; se morremos, é para o Senhor que morremos. Portanto, vivos ou mortos, pertencemos ao Senhor.
9Cristo morreu e ressuscitou exatamente para isto: para ser o Senhor dos mortos e dos vivos.

- Palavra do Senhor.
- Graças a Deus.


Evangelho - Mt 18,21-35
Não te digo perdoar até sete vezes,
mas até setenta vezes sete.
— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo, + segundo Mateus.
— Glória a vós, Senhor!

Naquele tempo, 21Pedro aproximou-se de Jesus e perguntou: “Senhor, quantas vezes devo perdoar, se meu irmão pecar contra mim? Até sete vezes?”
22Jesus respondeu: “Não te digo até sete vezes, mas até setenta vezes sete. 23Porque o Reino dos Céus é como um rei que resolveu acertar as contas com seus empregados.
24Quando começou o acerto, levaram-lhe um que devia uma enorme fortuna. 25Como o empregado não tivesse com que pagar, o patrão mandou que fosse vendido como escravo, junto com a mulher e os filhos e tudo o que possuía, para que pagasse a dívida.
26O empregado, porém, caiu aos pés do patrão e, prostrado, suplicava: ‘Dá-me um prazo, e eu te pagarei tudo!’ 27Diante disso, o patrão teve compaixão, soltou o empregado e perdoou-lhe a dívida.
28Ao sair dali, aquele empregado encontrou um de seus companheiros que lhe devia apenas cem moedas. Ele o agarrou e começou a sufocá-lo, dizendo: ‘Paga o que me deves’.
29O companheiro, caindo aos seus pés, suplicava: ‘Dá-me um prazo, e eu te pagarei!’ 30Mas o empregado não quis saber disso. Saiu e mandou jogá-lo na prisão, até que pagasse o que devia.
31Vendo o que havia acontecido, os outros empregados ficaram muito tristes, procuraram o patrão e lhe contaram tudo.
32Então o patrão mandou chamá-lo e lhe disse: ‘Empregado perverso, eu te perdoei toda a tua dívida, porque tu me suplicaste. 33Não devias tu também ter compaixão do teu companheiro, como eu tive compaixão de ti?’
34O patrão indignou-se e mandou entregar aquele empregado aos torturadores, até que pagasse toda a sua dívida.
35É assim que o meu Pai que está nos céus fará convosco, se cada um não perdoar de coração ao seu irmão”.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.




Reflexão Sobre o Dízimo - Tire Suas Dúvidas - Parte I


 Reflexão Sobre o Dízimo - Tire Suas Dúvidas - Parte I

O que é o dizimo?
Dízimo é a devolução a Deus, através de nossa comunidade, de uma parcela de todos os nossos rendimentos em forma de ação de graças pelo muito que d’Ele recebemos.Tudo o que temos e somos vem de Deus. Nós somos apenas meros administradores do que recebemos de sua infinita bondade. Por isso, contribuir com o Dízimo é obedecer a um preceito do Senhor. “Trazei o Dízimo ao Templo do Senhor” (Ml 3:10).
Eu tenho obrigação de devolver o Dízimo?
Sim. O Dízimo é um compromisso seu, individual e intransferível, com Deus, com a Igreja e com os pobres. É uma obrigação assim como amar a Deus e aos irmãos. O amor não é imposto, a contribuição do Dízimo também não pode ser. Deve ser a própria consciência de quem ama a Igreja que determina a obrigação de ser dizimista.

Onde devo devolver o Dízimo?
O Dízimo pertence a Deus, e se pertence a Deus eu devo levá-lo á Igreja onde participo, onde eu celebro a minha fé com os irmãos da comunidade. Como está escrito: “Então, ao lugar que o Senhor, vosso Deus, escolheu para estabelecer nele o seu nome, ali levareis todas as coisas que vos ordeno: vossos holocaustos, vossos sacrifícios e vossos dízimos, vossas primícias e todas as ofertas escolhidas que tiverdes prometido por voto ao Senhor” (Dt 12:11) Algumas paróquias cobram o Dízimo através de boletos bancários, outras cobram nas casas. Isto deveria ser feito de outra forma, porque a Palavra de Deus é clara e não deixa nenhuma dúvida. O Dízimo é participação e se eu participo da minha comunidade não há porque entregar em outro lugar.

sábado, 10 de setembro de 2011

Leituras Relacionadas ao dia 10/09/2011 - CNBB
Verde. Sábado da 23ª Semana Tempo Comum

1ª Leitura - 1Tm 1,15-17
Cristo veio ao mundo para salvar os pecadores.
Leitura da Primeira Carta de São Paulo a Timóteo 1,15-17
Caríssimo:
15Segura e digna de ser acolhida por todos é esta palavra:
Cristo veio ao mundo para salvar os pecadores.
E eu sou o primeiro deles!
16Por isso encontrei misericórdia,
para que em mim, como primeiro,
Cristo Jesus demonstrasse toda a grandeza de seu coração;
ele fez de mim um modelo de todos os que crerem nele
para alcançar a vida eterna.
17Ao Rei dos séculos,
ao único Deus, imortal e invisível,
honra e glória pelos séculos dos séculos. Amém!
Palavra do Senhor. 


Salmo - Sl 112 (113),1-2. 3-4. 5a.6-7 (R. 2)
R. Bendito seja o nome do Senhor, agora e para sempre!

Ou: Aleluia, Aleluia, Aleluia

1Louvai, louvai, ó servos do Senhor, *
louvai, louvai o nome do Senhor!
2Bendito seja o nome do Senhor, *
agora e por toda a eternidade!R.
3Do nascer do sol até o seu ocaso, *
louvado seja o nome do Senhor!
4O Senhor está acima das nações, *
sua glória vai além dos altos céus.R.
5aQuem pode comparar-se ao nosso Deus, +
6que se inclina para olhar o céu e a terra?
7Levanta da poeira o indigente *
e do lixo ele retira o pobrezinho.R. 

  INVOQUEMOS O ESPÍRITO SANTO PARA FAZERMOS A LEITURA DO EVANGELHO



Oração do Espírito SantoVinde, Espírito Santo, enchei os corações dos vossos fiéis e acendei neles o fogo do vosso amor. Enviai o vosso Espírito e tudo será criado e renovareis a face da terra.
Oremos
Deus que instruístes os corações dos vossos fiéis com a luz do Espírito Santo, fazei que apreciemos retamente todas as coisas segundo o mesmo Espírito e gozemos sempre da sua consolação. Por Cristo, Senhor nosso. Amém
Evangelho - Lc 6,43-49
Por que me chamais: "Senhor! Senhor!",
mas não fazeis o que eu digo?
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas 6,43-49
Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos:
43Não existe árvore boa que dê frutos ruins,
nem árvore ruim que dê frutos bons.
44Toda árvore é reconhecida pelos seus frutos.
Não se colhem figos de espinheiros,
nem uvas de plantas espinhosas.
45O homem bom tira coisas boas
do bom tesouro do seu coração.
Mas o homem mau tira coisas más do seu mau tesouro,
pois sua boca fala do que o coração está cheio.
46Por que me chamais: "Senhor! Senhor!",
mas não fazeis o que eu digo?
47Vou mostrar-vos com quem se parece
todo aquele que vem a mim, ouve as minhas palavras
e as põe em prática.
48É semelhante a um homem que construiu uma casa:
cavou fundo e colocou o alicerce sobre a rocha.
Veio a enchente, a torrente deu contra a casa,
mas não conseguiu derrubá-la, porque estava bem construída.
49Aquele, porém, que ouve e não põe em prática,
é semelhante a um homem que construiu uma casa no chão,
sem alicerce.
A torrente deu contra a casa,
e ela imediatamente desabou;
e foi grande a ruína dessa casa."
Palavra da Salvação. 


Reflexão - Lc 6, 43-49
Podemos falar muitas coisas a respeito dos valores que devem nortear as nossas vidas e dos fundamentos mais profundos desses valores, porém o maior discurso que nós podemos fazer sobre o Reino de Deus e a Vida Nova em Cristo é o discurso da vida, uma vez que a nossa vida expressa o que de fato cremos e que valores de fato temos. Se temos uma vida marcada pelo amor e pela solidariedade, na busca da justiça e da fraternidade, é porque de fato a nossa fé é verdadeira, que possui o seu alicerce na verdadeira rocha, que é o próprio Jesus.

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

LITURGIA DIÁRIA 07/9


Leitura (Colossenses 3,1-11)
Leitura da Carta de São Paulo aos Colossenses.

Irmãos, 1se ressuscitastes com Cristo, esforçai-vos por alcançar as coisas do alto, onde está Cristo, sentado à direita de Deus; 2aspirai às coisas celestes e não às coisas terrestres. 3Pois vós morrestes, e a vossa vida está escondida, com Cristo, em Deus.
4Quando Cristo, nossa vida, aparecer em seu triunfo, então vós aparecereis também com ele, revestidos de glória. 5Portanto, fazei morrer o que em vós pertence à terra: imoralidade, impureza, paixão, maus desejos e a cobiça, que é idolatria. 6Tais coisas provocam a ira de Deus contra os que lhe resistem.
7Antigamente vós estáveis enredados por essas coisas e vos deixastes dominar por elas. 8Agora, porém, abandonai tudo isso: ira, irritação, maldade, blasfêmia, palavras indecentes, que saem dos vossos lábios.
9Não mintais uns aos outros. Já vos despojastes do homem velho e da sua maneira de agir 10e vos revestistes do homem novo, que se renova segundo a imagem do seu Criador, em ordem ao conhecimento. 11Aí não se faz distinção entre grego e judeu, circunciso e incircunciso, inculto, selvagem, escravo e livre, mas Cristo é tudo em todos.

- Palavra do Senhor.
- Graças a Deus.


Salmo responsorial 144/145
— O Senhor é muito bom para com todos.
— O Senhor é muito bom para com todos.

— Todos os dias haverei de bendizer-vos, hei de louvar o vosso nome para sempre. Grande é o Senhor e muito digno de louvores, e ninguém pode medir sua grandeza.
— Que vossas obras, ó Senhor, vos glorifiquem, e os vossos santos com louvores vos bendigam! Narrem a glória e o esplendor do vosso reino e saibam proclamar vosso poder!
— Para espalhar vossos prodígios entre os homens e o fulgor de vosso reino esplendoroso. O vosso reino é um reino para sempre, vosso poder, de geração em geração.



 INVOQUEMOS O ESPÍRITO SANTO PARA FAZERMOS A LEITURA DO EVANGELHO
Oração do Espírito Santo
Vinde, Espírito Santo, enchei os corações dos vossos fiéis e acendei neles o fogo do vosso amor. Enviai o vosso Espírito e tudo será criado e renovareis a face da terra.
Oremos
Deus que instruístes os corações dos vossos fiéis com a luz do Espírito Santo, fazei que apreciemos retamente todas as coisas segundo o mesmo Espírito e gozemos sempre da sua consolação. Por Cristo, Senhor nosso. Amém
Evangelho (Lucas 6,20-26)
Aleluia, aleluia, aleluia.
Meus discípulos, alegrai-vos, exultai de alegria, pois grande é a recompensa que nos céus tereis um dia! (Lc 6,23). 
— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 20Jesus, levantando os olhos para os seus discípulos, disse: “Bem-aventurados vós, os pobres, porque vosso é o Reino de Deus! 21Bem-aventurados vós que agora tendes fome, porque sereis saciados! Bem-aventurados vós que agora chorais, porque havereis de rir! 22Bem-aventurados sereis, quando os homens vos odiarem, vos expulsarem, vos insultarem e amaldiçoarem o vosso nome, por causa do Filho do Homem!
23Alegrai-vos, nesse dia, e exultai pois será grande a vossa recompensa no céu; porque era assim que os antepassados deles tratavam os profetas.24Mas, ai de vós, ricos, porque já tendes vossa consolação! 25Ai de vós que agora tendes fartura, porque passareis fome! Ai de vós que agora rides, porque tereis luto e lágrimas! 26Ai de vós quando todos vos elogiam! Era assim que os antepassados deles tratavam os falsos profetas.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.
MISSIONÁRIOS DO DÍZIMO